Home > Catalogo > Rassegna iberistica > 45 | 118 | 2022 > O haijin acidental: Jorge de Sena e a poética do haicai
cover
cover

O haijin acidental: Jorge de Sena e a poética do haicai

Paulo Pereira    Universidade de Aveiro, Portugal    

VIEW PDF DOWNLOAD PDF

abstract

No mare magnum da poesia de Jorge de Sena, o lugar ocupado pelo haicai é, sem dúvida, discreto. Sena revisitou o género japonês no seu duplo ofício de tradutor e poeta, vertendo para português vinte poemas de Bashô e, mais tarde, compondo dez poemas que expressamente classificou como haicais. Neste artigo, propomo-nos examinar as traduções e os pastiches compostos pelo autor, procurando justificar a sedução que sobre ele exerceram quer a visão do mundo, quer o rigor construtivo subjacentes à forma poética. Nos seus pseudo-haicais, Sena, um haijin acidental, não revela uma intenção puramente mimética, optando antes por uma engenhosa ‘haicaização’ da sua própria poética.

Pubblicato
16 Dicembre 2022
Accettato
07 Ottobre 2022
Presentato
28 Aprile 2022
Lingua
PT

Keywords: HaikuBashôGéneros poéticosJorge de SenaPoetry translationPasticheHaicaiTradução de Poesia

Copyright: © 2022 Paulo Pereira. This is an open-access work distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License (CC BY). The use, distribution or reproduction is permitted, provided that the original author(s) and the copyright owner(s) are credited and that the original publication is cited, in accordance with accepted academic practice. The license allows for commercial use. No use, distribution or reproduction is permitted which does not comply with these terms.